Meu mundo + azul!

Precisamos falar sobre o Autismo!

Olá! Muito prazer! Sou a Evelise, mãe do João Pedro de 3 anos, autista leve diagnosticado com 1 ano e 6 meses. Resolvi escrever essa coluna, porque o autismo agora faz parte da minha vida e, como o diagnóstico está cada vez mais frequente, precisamos SIM falar mais sobre o autismo.

Para se ter uma ideia, em 1980, a cada 10.000 crianças, uma era diagnosticada com autismo. Hoje em dia, a cada 59 crianças, uma é autista. E são várias as razões para esse aumento expressivo no diagnóstico, dentre elas: mudanças na forma de diagnosticar, aumento de pesquisas e estudos sobre o tema e também o aumento do espectro.

Mas afinal, o que é o autismo?

O autismo é um transtorno no neurodesenvolvimento, ou seja, algumas funções neurológicas não se desenvolvem da forma como deveriam.

O termo foi usado a primeira vez em 1952, e ele era descrito como  um dos sintomas da esquizofrenia. De lá para cá (graças a Deus) muita coisa mudou, e a nomenclatura atual, adotada pelo DSM – Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, é TEA: Transtorno do Espectro do Autismo.

É difícil listar sintomas do autismo. Por ser um espectro, a variedade deles é muito ampla, mas, de maneira geral, podemos mencionar algumas áreas em que os comportamentos são mais comuns:

  • Comunicação ou interação social;
  • Padrões repetitivos;
  • Interesses restritos.

Dentro dessas áreas, várias outros sintomas podem ser observados, tais como: seletividade alimentar; sensibilidade auditiva; movimentos repetitivos ou estereotipados; ecolalia; sensibilidade a dor, dentre outros.

Pelo fato de o espectro ser muito amplo, não necessariamente uma criança terá todos esses sintomas ou terá outros que não foram citados acima.

Infelizmente, ainda não se sabe as causas do autismo (pesquisas continuam sendo feitas, mas nada foi comprovado cientificamente) e até o momento não existe cura. Porém, estudos comprovam que quanto mais cedo as intervenções, maiores são as chances de que os sintomas não interfiram no dia a dia.

Referência bibliográfica: GAIATO, MAYRA. S.O.S autismo: guia completo para entender o Transtorno do Espectro Autista. São Paulo: Brasil: nVersos, 2018.

2 comentários em “Meu mundo + azul!”

  1. Parabéns Evelise!
    Gostei da abordagem objetiva. Precisamos sim disseminar informações a respeito do autismo conscientizar a sociedade e consequentemente diminuir o preconceito.
    Sou mãe do Renato, autista leve 5 anos, diagnosticado 1 ano 8 meses.
    Intervenção precoce com certeza faz a diferença no desenvolvimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *