Conheça esses incríveis líderes de comunidade!

Mais pessoas inspiradoras pra apresentar pra vocês!

Para todas fiz as seguintes perguntas:

1 – Conta pra gente um pouco da história da sua comunidade

2 – Qual o alcance da sua comunidade e o impacto que tem na vida das pessoas?

3 – Quais suas expectativas com o Programa FCLP? 

1 – O Politiquê? é uma organização sem fins lucrativos que fala de política, cidadania e empreendedorismo para engajar jovens na mudança social. Fundada em 2013 por Camilla Borges Costa, é uma iniciativa que trabalha de forma dissociada de partidos, promovendo ações educativas com foco nos jovens entre 15 e 25 anos. Uma iniciativa de jovens para jovens e que busca promover um espaço de debate onde o jovem consiga se perceber como integrante da sociedade e se empoderar de seu papel como cidadão.

2 – Desde o início, já impactamos mais de 4500 pessoas. Camilla explica: “Queremos que os jovens sintam na pele a experiência de ser cidadão e como a política afeta as suas vidas o tempo todo”. O trabalho do Politiquê? é realizado nas escolas, universidades, comunidades e no espaço público através de eventos promovidos com a ajuda de voluntários, parceiros, instituições e outras organizações da sociedade civil. Além de estimularem o voto consciente, o projeto propõe ir além, trazendo a cidadania para o dia a dia de suas comunidades e suas vidas. Para Raíra, gestora operacional do Politiquê?, “o debate é importante para percebermos que, para mudar aquilo que nos incomoda, precisamos nos envolver”. E o mais importante: o trabalho continua quando a eleição acaba.

3 – A minha expectativa é consolidar o Politiquê? como organização, ampliando o nosso alcance para conversar com mais jovens através da atuação em rede, estruturando nossa equipe e infraestrutura para garantir que estamos fazendo o nosso melhor e levando a nossa mensagem de cidadania e impacto positivo para jovens ao redor do Brasil.

O Centro da Juventude Uganda é uma organização liderada por jovens e de capacitação de jovens, que começou em 2010 com a visão de ver os jovens engajados proativamente em desenvolver atividades em suas comunidades.

Crescer dentro e em volta de comunidades carentes e mais tarde ter uma chance de educação formal até a Universidade motivou Savio Mark Lule  envolver outros jovens em sua comunidade, a fim de mantê-los fora do comportamento criminoso e também ajudá-los a ter independência financeira.

O Centro Juvenil Uganda mais tarde se espalhou para diferentes comunidades em Uganda e também iniciou programas escolares para os estudantes atingindo milhares de jovens anualmente em diversos programas de qualificação.

Recentemente eu fui selecionadoser um dos 115 líderes comunitários em todo o mundo no Programa de Liderança da Comunidade do Facebook onde conheci líderes com os quais eu interagi e ampliei meus conhecimentos e também passei por uma série de mentores e treinamentos. Eu acredito que será de grande impacto para o meu país Uganda. E também o financiamento do Facebook vai lançar uma grande jornada de criação de um centro de recursos vocacionais em Uganda, que ajudará a habilidade mais jovens com muita ênfase nas meninas.

Também esperamos que o The Youth Hub Uganda explore mais potenciais através do FCLP nos próximos anos.

1 – Gerar redes de apoio para as mulheres mexicanas que vivem fora de sua cidade de origem, o que lhes permite ter acesso fácil a informações do exterior, fornecendo apoio emocional que as ajude a adaptar e integrar rapidamente novas culturas e novas cidades.

2 – Atualmente, temos mais de 42.000 membros em uma comunidade privada, estamos em mais de 46 países e temos 60 embaixadores nas principais cidades do mundo,  que tiveram um impacto emocional na vida de todos as mexicanas que se mudaram de seu país,  desde que elas passam a integrar os círculos das mulheres nas cidades onde eles achavam que não havia mais mexicanas, dando-lhes confiança, saúde mental, segurança para ir às ruas em um país que não é deles e até se destacar como empresárias para a venda de algum produto ou serviço dentro de sua própria cidade, para mostrar solidariedade com o resto das meninas que estão constantemente mudando sua cidade e que estão apenas procurando por um círculo que lhes dê confiança, segurança e acima de tudo que se sentem em casa, desde a comida até para viver os costumes, celebrações e tradições mexicanas

3 – Minhas expectativas são direcionadas para a capitalização dentro da minha comunidade, assim como o crescimento e sustentabilidade dela,  considerando minha independência de trabalho dedicando 100% a essa comunidade capitalizável, o que me permite alcançar esses cantos onde sabemos que há mais famílias que precisam de nós, mas especialmente onde há mais mulheres mexicanas e latinas quem são as que abrem o caminho e que no futuro poderão fazer parte dessa comunidade.

1 – Women Who Code (WWCode) é uma organização internacional sem fins lucrativos fundada em 2011 em San Francisco, Califórnia. Tem mais de 137.000 membros em mais de 20 países.

Em outubro de 2014, um grupo de estudantes universitários decidiu formar o capítulo de Mérida com o objetivo de aumentar o número de mulheres interessadas na área de ciência e tecnologia na cidade.

Comecei a ir às oficinas da WWCode Mérida, então comecei como voluntário em outubro de 2015, eu amei a visão e eu queria ajudar outras mulheres como eu que estavam interessadas em ciência e tecnologia, depois disso em dezembro passado eu me tornei um das três diretoras .

Atualmente, a WWCode Merida conta com três líderes: Grisel Ancona, Genny Centeno e Addy Poot e mais de 10 voluntários, realizamos mais de 130 atividades off-line e alcançamos mais de 3.000 pessoas através do Facebook.

Além do México, o Women Who Code também está presente em outros países latino-americanos, como o Brasil, a Colômbia e o Chile.

2 – Parte de nossas atividades consistem na realização de workshops e palestras especialmente para meninas, estudantes universitários e mulheres em questões de ciência e tecnologia gratuitamente.

Buscamos parcerias com membros da sociedade civil, empresas privadas e governo, a fim de contribuir para uma maior diversidade e inclusão, além de criar caminhos de liderança e novos modelos para essas mulheres dentro das empresas e da comunidade em geral.

3 – É uma honra para mim conhecer todos os líderes maravilhosos que fazem parte deste programa e compartilhar experiências e aprender com eles.

Com este programa minha comunidade e eu esperamos gerar mais oportunidades para meninas e mulheres em comunidades rurais em meu estado e país.

Além disso, criar sinergia com os participantes para promover a importância de capacitar mais mulheres.

 


		

Compartilhe este post