A fotografia como registro das fases de uma vida

Qual o propósito de fotografar nossa família, nossos filhos ou nossas viagens, nossas festas ou, simplesmente, nossas rotinas?
Fotografar é garantir que vamos lembrar no futuro, através de uma imagem, daquele momento presente.
Mesmo hoje, com celulares cada vez mais tecnologicamente preparados, muitas fotos não ficam do jeito que gostaríamos de lembrar ou da forma que vemos.
Eu comecei fotografando a minha filha, porque ela mudava muito rápido e o olhinho dela nenhum celular me permitia reproduzir a cor real.
Por isso fui estudando, entendendo e as fotos dela faziam tanto sucesso que me abriram as portas para o mundo da fotografia profissional. Depois descobri a minha paixão com a fotografia newborn e veio outra fase linda da minha vida, mas é outra historia…
Com essa oportunidade no Blog das Mommys, pretendo mostrar dicas simples, de forma prática e sem linguagem técnica, sobre como fotografar melhor nossos filhos, para ajudar as mamães e os papais a conservarem sempre essas lembranças, sem perder a beleza que envolve o momento.
Cada fase da criança tem particularidades especiais, desde as fases do bebê, até a infância e adolescência. E entender como eles interagem, ajuda a alinhar as nossas expectativas com o resultado que é possível conseguir.
Vamos começar do início?
O que é fotografia? É escrever com a luz!
Poeticamente, é contar histórias através de imagens.
Para fotografar precisamos de que então? Luz!
Não importa se com a câmera do celular ou câmera profissional, o produto da fotografia é a imagem.
Porém, quanto melhor o equipamento e a experiência do fotógrafo, melhor será o resultado!
Então, a primeira dica é sobre a luz:
1 – Procure levar seu filho em direção à luz, mesmo em ambientes internos.
A luz lateral de janela faz uma boa iluminação, por exemplo. Porém, a criança mexe o tempo todo e nem sempre conseguimos que olhe na direção certa.
Por isso, a pessoa que distrai para a foto ou que fotografa, deve estar entre a criança e a luz, para fazer ela virar para a luz.
    
2 – A luz é o oposto da sombra, veja se a sombra está na frente ou atrás da criança.
Eu, particularmente, não gosto de sombras marcadas. Por isso fotografo no final da tarde ou no inicio da manhã.
Nesses momentos, as pessoas conseguem olhar sem espremer os olhos.
Quando a luz já está mais forte, a solução é fazer fotos de perfil ou olhando em outras direções.
  • Luz suave: luz que vem lateral no fim de tarde; suave ou filtrada pelas nuvens em dias nublados.
  • Luz mais forte – meio do dia (entre 10h e 15h): Luz que vem de cima, fazendo com que a testa, formato da cabeça e cabelo formem sombras no rosto. Mesmo na sombra, a luz não fica uniforme porque tem áreas com maior incidência de luz, e fica complicado compensar.
3 – Mova-se para achar o melhor ângulo em relação à luz.
Eu gosto da iluminação lateral, no qual as sombras contornam suave o rosto ou o corpo e de cima para baixo (da cabeça para o corpo).
4 – Você pode fazer as fotos de contraluz usando o flash ou algo que faça a luz iluminar a frente da criança.
Ela deve ficar no meio, entre a luz e a pessoa que vai fotografar.
Neste caso, a luz mais forte vem de traz e precisamos redirecionar uma parte da luz para o outro lado do rosto.
5 – E as famosas silhuetas?
É o mesmo princípio da contraluz, com a fonte de luz maior ao fundo e a pessoa a ser fotografada na frente ou ao lado.
Neste caso, não iluminamos a frente justamente para ter este efeito.
O horário antes do pôr-do-sol, no qual a luz fica diretamente de frente para a câmera, é o ideal para conseguir essas fotos.
É bem difícil conseguir focar e fotometrar, até porque é um período em que o sol desce rápido.
      
Para quem ama fotografia, a iluminação é fundamental, é TUDO e o assunto é extenso demais.
Mas a proposta aqui é explicar de forma simples e fácil, para que vocês entendam o básico, para tirar fotos lindas dos seus filhotes.
Espero que tenham gostado, enviem suas dicas e sugestões!
Grande beijo e até a próxima.

Compartilhe este post