A mulher real

Olá! Seja bem-vinda a minha, a sua, a nossa coluna! (rsrs)

Péssimo começar com um clichezão desses, mas é mais ou menos por aí mesmo.

Esse será um espaço não só de reflexão, mas de diálogo. Convido você a interagir comigo, a sugerir, a discordar.

Mas do que trataremos?

Vamos abrir o jogo. Falar dos anseios, medos, das necessidades das mulheres que hoje seguem o dia a dia corridamente, divididas entre filhos, maridos, família e trabalho. Vamos aqui, lembrar que a vida não é um instagram.

Quais são as nossas dores? Como podemos trocar juntas conselhos para seguir em frente? Esse espaço pretende segurar a sua mão e não soltar! Pretende te mostrar que você não está sozinha, que vamos chegar lá, seja qual for o seu “lá”.

Teremos aqui, mensalmente, provocações sobre empoderamento, a mulher no mercado de trabalho, a maternidade real, o racismo, o machismo, dentre outros tantos temas que estão presentes no nosso dia a dia, mas muitas vezes permanecem camuflados, em uma sociedade que se autointitula democrática e evoluída. Será mesmo?

Então senta comigo, pare cinco minutos e vamos refletir juntas. Você não está sozinha e não precisa enfrentar tudo sozinha.

Costumamos ter um complexo de super-herói digno de Aquiles, de que enfrentaremos, sem medo, todos os obstáculos da vida. De que o outro enfrenta incólume e de que você também precisa enfrentar sozinha os desafios diários. Sejamos realistas: o outro não enfrenta e você também não precisa enfrentar.

Nessa era das redes sociais somos invadidas por um fluxo constante da felicidade e vida perfeita do outro. Você já sabe, mas não custa lembrar: ninguém vive assim 100% do tempo. O outro sofre, corre atrás, desdobra-se. Você faz isso, eu faço…

Temos nossos dias de instagram, temos nossos dias de luta. Eles nos completam, nos fazem as mulheres reais que somos.

Então, permita-se!

Não precisa ser uma heroína, seja você. Sem a ilusão de que tudo será perfeito, mas com a certeza de que você será humana o suficiente para sentir toda a alegria, tristeza, ansiedade e amor que essa vida nos proporciona.

Seja bem-vinda mulher real, a minha, a sua, a nossa coluna!

Credito da foto: banco de imagens

Compartilhe este post